Artigo

Por mais consciência nos negócios. O que é o Movimento Capitalismo Consciente?

por Graziela Merlina*


Para falar o que é Capitalismo Consciente reflita você mesmo se já se viu em meio a algum ou alguns desses questionamentos:

  1. Por que há pessoas tão insatisfeitas no mundo dos negócios hoje?
  2. Lucro é a única medição de sucesso de um negócio?
  3. Como medir os impactos de um negócio nas pessoas, na sociedade, no planeta?
  4. O que faz uma empresa ser considerada humanizada?
  5. Como se sentem todos aqueles que se relacionam com o meu negócio?

Tais questões nos colocam diretamente em contato com o conceito do Capitalismo Consciente. Trata-se de um movimento global, originário nos EUA, fundado por Raj Sisodia (acadêmico que identificou e documentou as bases teóricas do Capitalismo Consciente no livro Empresas Humanizadas: Pessoas, Propósito e Performance) e John Mackey (cofundador da rede de supermercados Whole Foods).

O conceito do Capitalismo Consciente sugere que as organizações adotem uma nova abordagem na condução dos negócios para promover prosperidade e uma interdependência saudável entre todos os envolvidos, interessados e impactados na cadeia de valor.

Nesse contexto, os negócios não se restringem apenas à geração de lucro, renda e empregos, mas também a valores de bem-estar social. Ou seja, o negócio torna-se verdadeiramente responsável por todo o tipo de capital que o compõe: financeiro, ambiental, social, intelectual, cultural, físico, emocional, espiritual. É isso que chamamos de ir além do lucro.

O movimento fez emergir quatro fundamentos, que se propõe a organizar uma forma de pensar os negócios com um maior nível de consciência. Afinal, capitalismo consciente é a provocação necessária para compreender que as relações entre a riqueza e o bem-estar precisam ser feitas de forma consciente para garantir um impacto positivo no mundo. Caso contrário, a maximização do lucro e o acúmulo de riqueza passam a ser os únicos objetivos do negócio.

Os princípios que fundamentam o Capitalismo Consciente são:

Propósito elevado: o propósito de uma empresa deve ser muito mais do que simplesmente gerar lucros: é a causa para a qual a empresa existe. O bem que ela se propõe a gerar no mundo.

Orientação para stakeholders: um negócio deve gerar diferentes valores para todas as partes interessadas. Empresas conscientes maximizam retornos para todos os envolvidos — colaboradores, consumidores, comunidade, clientes, fornecedores, governo, investidores, outros.

Liderança consciente: líderes são responsáveis por servir ao propósito da organização criando valor para todos os seus stakeholders e cultivando uma Cultura Consciente de confiança e cuidado.

Cultura consciente:é a incorporação dos valores, princípios e práticas subjacentes ao tecido social de uma empresa. Ela conecta os stakeholders uns aos outros e torna os processos, a estrutura e as decisões meios para alcançar o propósito.

Desde 2013, o Capitalismo Consciente Brasil é o representante brasileiro do Conscious Capitalism Inc., organização sem fins lucrativos com o propósito de atuar na evolução do capitalismo para o bem.

Isso desafia o Brasil a construir um ecossistema próspero, de empresas conscientes e profissionais que se beneficiam de uma poderosa aprendizagem, além de uma rede de pessoas e negócios alinhados por valores.

Para deixar uma reflexão sobre o que você teria a dizer quanto ao nível de consciência em seu próprio negócio, termino com uma definição sobre Empresa Consciente de Raj Sisodia, cofundador do Conscious Capitalism Inc.:

Uma Empresa Consciente representa algo especial e único, é amada e respeitada por todos os seus stakeholders, tem líderes sábios e compassivos e uma cultura caracterizada pela confiança, autenticidade e transparência. Elas geram continuamente vários tipos de valor e bem-estar, aumentam a saúde geral da sociedade, trazem alegria, satisfação e significado para todos os seus stakeholders.

Acompanhe o movimento, associe-se e faça parte da evolução do capitalismo para o bem no Link.

*Graziela Merlina - Idealizadora na @casamerlina / Conselheira no @capitalismoconscientebrasil / Fundadora da @ApoenaRH